Processo seletivo DINTER – Resultado final por ordem de classificação

05/10/2017 11:09
NOME DO CANDIDATO Nota final
LISSANDRA LOPES COELHO ROCHA 9.14
JACQUELINE MARTINS DE C. VASCONCELOS 8.99
LEONARDO CASTRO MAIA 8.95
LENÍCIO DUTRA MARINHO JÚNIOR 8.88
MURILO RAMALHO PROCOPIO 8.68
JOSÉ CARLOS FREIRE 8.42
MÔNICA VALADARES MARTINS 8.42
RENATA GRECO DE OLIVEIRA 8.34
ADRIANA APARECIDA DA CONCEIÇÃO SANTOS SÁ8 8.26
FRANCO DANI ARAÚJO E PINTO 8.24
EDMARCIUS CARVALHO NOVAES 8.23
ADRIANA DE OLIVEIRA LEITE COELHO 8.21
HERNANI CIRO SANTANA 8.05
SARA EDWIRGENS BARROS SILVA 8.04
ROMERO MEIRELES BRANDÃO 8.0
ANA CRISTINA MARQUES LEMOS 7.85
VANROCHRIS HELBERT VIEIRA 7.50
CLÁUDIO MANOEL CABRAL MACHADO 7.40

Missão de sétimo dia – Professor Selvino Assmann

05/10/2017 09:19
O Programa Interdisciplinar em Ciências Humanas convida a todos e todas para participarem da
Celebração de Sétimo Dia do Prof. Dr. Selvino José Assmann a ser realizada:
Dia: 07 de Outubro (Sábado), às 16h00 horas.
Local: Centro Ecumênico da UFSC

Resultado das Etapas do Processo de Seleção DINTER UNIVALE 2017

04/10/2017 14:03

Conforme item 5 do Edital de Seleção, que define as ETAPAS E CRONOGRAMA DA SELEÇÃO: “… todas as etapas são eliminatórias sendo que a nota mínima para aprovação em cada etapa é 07 (sete)”, ou seja, caso a/o candidata/o receber uma nota abaixo de 7 (sete) em uma das etapas, está automaticamente desclassificado do processo de seleção, ou seja reprovado.

NOME DO CANDIDATO Prova Escrita Anteprojeto Currículo Defesa Projeto
FRANCO DANI ARAÚJO E PINTO 9.50 7.4 7.7 8.0
RENATA GRECO DE OLIVEIRA 9.50 7.0 8.7 8.0
LEONARDO CASTRO MAIA 9.50 10.0 8.0 8.0
LISSANDRA LOPES COELHO ROCHA 9.50 9.7 8.65 8.5
JACQUELINE MARTINS DE C. VASCONCELOS 9,00 9.7 8.05 9.0
LENÍCIO DUTRA MARINHO JÚNIOR 9,00 9.3 8.23 8.8
ADRIANA APARECIDA DA CONCEIÇÃO SANTOS SÁ 9,00 8.0 8.17 7.7
JOSÉ CARLOS FREIRE 9,00 8.2 8.34 8.0
MURILO RAMALHO PROCOPIO 9,00 8.7 8.02 8.8
ROMERO MEIRELES BRANDÃO 9,00 7.2 8.08 7.5
EDMARCIUS CARVALHO NOVAES 8,50 7.0 8.4 9.0
SARA EDWIRGENS BARROS SILVA 8,50 8.1 7.3 8.0
ADRIANA DE OLIVEIRA LEITE COELHO 8,50 8.4 8.41 7.5
MÔNICA VALADARES MARTINS 8,00 8.6 8.11 9.0
ANA CRISTINA MARQUES LEMOS 8,00 8.7 7.59 7.0
WEDER SILVEIRA CUNHA 8,00 7.7 7.06 5.0
VANROCHRIS HELBERT VIEIRA 7,50 7.5 8.1 7.0
KENIA FABIANA COTA MENDONÇA 7,50 8.0 8.11 5.0
HERNANI CIRO SANTANA 7,00 8.4 8.02 9.0
CLÁUDIO MANOEL CABRAL MACHADO 7,00 7.2 8.08 7.5
MARIA PAULINA CASTRO DE FREITAS SABB 7,00 7.2 9.07 5.0
MARLENE LIMA TEMPONI 7,00 7.7 7.78 5.0
NEILANE DE SOUZA VIANA 7,00 7.2 7.99 5.0
LAIS COUY 7,00 7.5 8.5 5.0

 

NOTA DE CORTE EM TODAS AS ETAPAS – 7.0

Luto – Falecimento do reitor

02/10/2017 22:14

O PPGICH lamenta a morte do reitor da UFSC, prof. Luiz Carlos Cancellier ocorrida no dia 2 de outubro de 2017. Estamos de todos de luto. Reproduzimos aqui a nota oficial da nota da Andifes:

“A Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições Federais de Ensino Superior (Andifes), profundamente consternada, comunica o trágico falecimento do Prof. Dr. Luiz Carlos Cancellier, Reitor da Universidade Federal de Santa Catarina, ocorrido na manhã desta segunda-feira. O sentimento de pesar compartilhado por todos/as os/as reitores/as das universidades públicas federais, neste momento, é acompanhado de absoluta indignação e inconformismo com o modo como foi tratado por autoridades públicas o Reitor Cancellier, ante um processo de apuração de atos administrativos, ainda em andamento e sem juízo formado. É inaceitável que pessoas de bem, investidas de responsabilidades públicas de enorme repercussão social tenham a sua honra destroçada em razão da atuação desmedida do aparato estatal. É inadmissível que o país continue tolerando práticas de um Estado policial, em que os direitos mais fundamentais dos cidadãos são postos de lado em nome de um moralismo espetacular. É igualmente intolerável a campanha que os adversários das universidades públicas brasileiras hoje travam, desqualificando suas realizações e seus gestores, como justificativa para suprimir o direito dos cidadãos à educação pública e gratuita. Infelizmente, todos esses fatos se juntam na tragédia que hoje temos que enfrentar com a perda de um dirigente que por muitos anos serviu à causa pública. A ANDIFES manifesta a sua solidariedade aos familiares e amigos do Reitor Cancellier e continuará lutando pelo respeito devido às universidades públicas federais, patrimônio de toda a sociedade brasileira.
Brasília, 02 de outubro de 2017. “

LUTO: suspensão das atividades na UFSC

02/10/2017 16:32

Os Diretores das Unidades Acadêmicas da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) comunicam seu pesar pelo falecimento do Reitor Luiz Carlos Cancellier de Olivo. Reunidos, decidiram suspender todas as atividades acadêmicas e administrativas por três dias, em sinal de luto.

Outras atividades, já agendadas ou que envolvam convidados externos ou eventos em andamento, deverão ser avaliadas caso a caso.

As unidades acadêmicas conclamam a comunidade universitária a manter-se unida e atenta às comunicações oficiais a serem publicadas oportunamente de modo a prestar sua manifestação de respeito e solidariedade à instituição e a seu dirigente máximo.

Florianópolis, 2 de outubro de 2017.

Mais informações no Memorando Circular nº 20.2017.GR

Selvino José Assmann, 40 anos dedicados à sala de aula

02/10/2017 08:52

A história do Programa Interdisciplinar em Ciências Humanas da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) praticamente se funde com a trajetória de um dos seus maiores contribuintes e entusiastas: o professor Selvino José Assmann. Membro do corpo docente desde 1976, ele se orgulha ao falar dos seus mais de 40 anos de trabalho na Universidade. Diz que teve muita sorte ao ingressar no curso como professor, pois a oportunidade surgiu quando voltava da Itália, após a conclusão de seu mestrado na Pontificia Università Lateranense. “Eu não conhecia Florianópolis, passei por aqui voltando do mestrado. Abri um jornal que se chamava O Estado e vi um edital de concurso para professor de Filosofia”, ele lembra. Na época, o Departamento de Filosofia oferecia apenas o curso de graduação, do qual passou a ocupar o cargo de coordenador.

Em 1980, Selvino decidiu cursar doutorado, também na Pontificia Università Lateranense. Foram três anos dedicados à história das ideias filosóficas na América Latina. Ao retornar, deu início à primeira turma do mestrado em Educação, e ao primeiro curso de especialização em Filosofia, que deu origem ao mestrado, em 1997, e ao doutorado, em 2005.

O professor fundou e coordenou o Doutorado Interdisciplinar em Ciências Humanas – primeiro curso interdisciplinar da Universidade. A interdisciplinaridade é uma das características do trabalho de Selvino, e que ele faz questão de ressaltar, por conta da união de várias vertentes de conhecimento. “Acho que a universidade deveria desenvolver mais a abordagem supradisciplinar, e não cortar os objetos de estudos em tamanhos pedaços de especialização. É uma tentativa de voltar a reunir o conhecimento humano”, ele explica.

Atualmente era professor voluntário na pós-graduação em Filosofia e no Interdisciplinar em Ciências Humanas e se dedica às traduções do filósofo italiano Giorgio Agamben, de quem traduziu sete livros. Como tradutor ele destacava a importância dos escritores italianos. “No Brasil temos mais contato com obras em inglês, alemão ou francês e muito pouco do que é feito na Itália. Eu creio que há uma contribuição específica da Itália, porque eles têm uma grande contato com escritores alemães, ingleses e franceses.”Mesmo gostando muito de trabalhar com Filosofia, principalmente na área da Ética e da Política, o professor sempre lecionou em diversos cursos, como Enfermagem, Administração e Direito. Ele contava que nunca se sentiu muito satisfeito com a ideia de ficar somente na sua especialidade. Inclusive permaneceu no doutorado interdisciplinar até a sua aposentadoria, em 2015.

Itália

Selvino já era graduado em Filosofia quando deixou o Brasil para cursar Teologia, aos 21 anos. Os estudos foram todos custeados por uma bolsa que recebeu da Pontificia Università Lateranense. Ele lembra que no período de férias ia para a Alemanha trabalhar como operário nas fábricas. O idioma alemão, que aprendeu em casa, no interior do Rio Grande do Sul, facilitou o seu trabalho.

Ao fim da graduação, quando deixou de contar com a bolsa de estudos, passou a trabalhar como editor da edição em português do Observatório Romano e também na rádio do Vaticano. Ele explica que o jornal tinha uma edição diária em italiano, e semanalmente eram produzidas edições em outras línguas. “Eu pensei que, se não fosse trabalhar na Filosofia, iria trabalhar no Jornalismo. Inclusive, Foucault tinha uma definição deliciosa do que era ser filósofo: ‘um jornalista radical’”, ele conta.

Durante os nove anos em que viveu na Itália, de 1967 a 1976, cursou mestrado em Filosofia e Teologia, “uma fábrica de padres” em suas palavras. O trabalho de jornalista foi o que permitiu que ele permanecesse estudando.

Sala de aula

Selvino costumava dizer que se dedicou muito mais ao ensino do que à pesquisa, mesmo nunca tendo parado de exercer a função de pesquisador. Ele contava que durante muito tempo foi um professor que “sabia das coisas e dizia para o alunos” e que aos poucos foi aprendendo a escutar o que as pessoas pensam, e as resistências de cada um. Por isso, considerava o encontro na sala de aula e o trabalho de orientador como as coisas mais importantes na universidade.

O professor destacava uma passagem de Platão que diz que  “ele é um pensador menor do que Sócrates, porque Sócrates nunca escreveu nada, ou seja, o ato de pensar é precário, por isso todo texto que você escreve acaba fixando alguma coisa e de alguma forma mata o pensamento”. Muitos dos seus colegas chegam a reclamar porque ele publicava muito pouco, mas ele dizia não estar preocupado e acredita que a contribuição mais importante não é escrever um texto que muitas vezes ninguém vai ler. “Acho que na Filosofia nunca devemos ser o professor que diz ‘a verdade é esta’, mas alguém que convida as pessoas pensar e a serem mais autônomas”, ele conclui.

Muitos alunos foram surpreendidos por Selvino, principalmente na área do pensamento político, pois discordavam abertamente de suas opiniões e mesmo assim tinham boas notas. Ele explica que “muitos ficavam sem entender, mas o que eu avaliava eram os argumentos, pensar por conta própria. Isso é mais importante do que simplesmente reproduzir pensamentos”.

Professor Emérito

Sobre a solenidade em que recebeu o título de Professor Emérito, em setembro de 2016, Selvino diz o seguinte:

“Foi uma festa de reconhecimento e sobretudo de amizade. Aristóteles dizia que com amigos a gente pensa e age melhor: isso para mim é um tesouro. Não consigo separar a vida aqui dentro e a vida lá fora, tenho dificuldade em aceitar que eu sou um profissional. A gente tem que viver e fazer da vida uma unidade, sem separar o público e o privado. Acabei misturando muito, minha mulher até dizia que eu casei com a Universidade. De fato minha dedicação nesses 40,5 anos foi muito intensa.”

“Fico contente com este ‘Professor Emérito’, porque através disso se deu ênfase a que a Universidade reconhece que alguém que não ficou famoso com suas publicações seja reconhecido pelo fato de ter se dedicado diretamente ao ensino. Me incomoda que tanta gente que trabalha na pós-graduação não dê bola para a graduaçãoEu nunca concordei muito com a Constituição brasileira, que diz que a universidade se declara a indissolubilidade de pesquisa e extensão. Só que isso é entendido como se cada professor tivesse que ensinar, pesquisar e fazer extensão. A exemplo das grandes universidades, tem muita gente que só faz pesquisa e não dá aula. Porque tem gente que não sabe dar aula, pode ser muito inteligente, mas não tem paciência ou jeito. Então por que obrigar todo mundo a dar aula na graduação? Eu penso diferente nessa relação entre ensino e pesquisa. Nunca vou fazer uma pesquisa que não sirva pra mim mesmo e para o ensino.”

Giovanna Olivo/Estagiária de Jornalismo/Agecom/UFSC com algumas adaptações feitas pelo PPGICH

 

Horários da defesa do projeto

29/09/2017 10:49

A defesa do projeto acontecerá na Sala 03, Bloco PVA

Data: 02/10/2017 – segunda-feira

Horário da defesa Nome
8:20 – 8:40 ADRIANA APARECIDA DA CONCEIÇÃO SANTOS SÁ
8:40 – 9:00 ADRIANA DE OLIVEIRA LEITE COELHO
9:00 – 9:20 ANA CRISTINA MARQUES LEMOS
9:20 – 9:40 CLAUDIO MANUEL CABRAL MACHADO
9:40 -10:00 Intervalo
10:00 – 10:20 EDMARCIUS CARVALHO NOVAES
10:20 – 10:40 FRANCO DANI ARAÚJO E PINTO
10:40 – 11:00 HERNANI CIRO SANTANA
11:00 – 11:20 JACQUELINE MARTINS DE C. VASCONCELOS
11:20 – 11:40 JOSÉ CARLOS FREIRE
11:40 – 12:00 KENIA FABIANA COTA MENDONÇA

Data: 02/10/2017 – segunda-feira

Horário da defesa Nome
14:10 – 14:30 KYRLEYS PEREIRA VASCONCELOS
14:30 – 14:50 LAIS COUY
14:50 – 15:10 LENÍCIO DUTRA MARINHO JÚNIOR
15:10 – 15:30 LEONARDO CASTRO MAIA
15:30 – 15:50 LISSANDRA LOPES COELHO ROCHA
15:50 – 16:10 Intervalo
16:10 – 16:30 MARIA PAULINA CASTRO DE FREITAS SABB
16:30 – 16:50 MARLENE LIMA TEMPONI
16:50 – 17:10 MÔNICA VALADARES MARTINS
17:10 – 17:30 MURILO RAMALHO PROCOPIO
17:30 – 17:50 NEILANE DE SOUZA VIANA
17:50 – 18:10 RENATA GRECO DE OLIVEIRA

Data: 03/10/2017 – terça-feira

Horário da defesa Nome
09:00 – 09:20 ROMERO MEIRELES BRANDÃO
09:20 – 9:40 SARA EDWIRGENS BARROS SILVA
9:40 – 10:00 VANROCHRIS HELBERT VIEIRA
10:00 – 10:20 WEDER SILVEIRA CUNHA

 

 

 

Processo seletivo DINTER 2017 – Resultado da análise dos projetos e currículos

28/09/2017 13:24
NOME DO CANDIDATO Anteprojeto Currículo
FRANCO DANI ARAÚJO E PINTO 7.4 7.7
RENATA GRECO DE OLIVEIRA 7.0 8.7
LEONARDO CASTRO MAIA 10.0 8.0
LISSANDRA LOPES COELHO ROCHA 9.7 8.65
JACQUELINE MARTINS DE C. VASCONCELOS 9.7 8.05
LENÍCIO DUTRA MARINHO JÚNIOR 9.3 8.23
ADRIANA APARECIDA DA CONCEIÇÃO SANTOS SÁ 8.0 8.17
JOSÉ CARLOS FREIRE 8.2 8.34
MURILO RAMALHO PROCOPIO 8.7 8.02
EDMARCIUS CARVALHO NOVAES 7.0 8.4
SARA EDWIRGENS BARROS SILVA 8.1 7.3
ADRIANA DE OLIVEIRA LEITE COELHO 8.4 8.41
KYRLEYS PEREIRA VASCONCELOS 7.6 8.4
MÔNICA VALADARES MARTINS 8.6 8.11
ANA CRISTINA MARQUES LEMOS 8.7 7.59
WEDER SILVEIRA CUNHA 7.7 7.06
KENIA FABIANA COTA MENDONÇA 8.0 8.11
HERNANI CIRO SANTANA 8.4 8.02
MARIA PAULINA CASTRO DE FREITAS SABB 7.2 9.07
MARLENE LIMA TEMPONI 7.7 7.78
NEILANE DE SOUZA VIANA 7.2 7.99
LAIS COUY 7.5 8.5
ROMERO MEIRELES BRANDÃO 7.2 8.08
VANROCHRIS HELBERT VIEIRA 7.5 8.1
CLAUDIO MANUEL CABRAL MACHADO 7.2 8.08

 

 

Processo Seletivo DINTER – UFSC / UNIVALE

26/09/2017 16:19

Trinta e seis candidatos realizaram a prova para seleção dos alunos do programa de Doutorado Interdisciplinar em Ciências Humanas (DINTER/UFSC/UNIVALE), na manhã desta quinta-feira, 21 de setembro.

A avaliação foi Campus Antônio Rodrigues Coelho (Campus II) da UNIVALE, e foi acompanhada pela coordenadora da instituição promotora, a UFSC, a Profa. Drª.  Eunice Sueli Nodari, e o coordenador da instituição receptora, a UNIVALE, o Prof. Dr. Haruf Salmen Espindola.

O DINTER oferece 15 vagas e é ofertado em parceria com a Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC).

Processo Seletivo DINTER / Resultado da Prova Escrita

26/09/2017 16:13

Relação de candidatos/as aprovados/as na Prova Escrita

POR NÚMERO DE INSCRIÇÃO E NOTA – Nota de corte = 7,0

 

  1. 20170010377 9,5 
  2. 20170010365 9,5
  3. 20170010266 9,5
  4. 20170010218 9,5
  5. 20170010289 9,0
  6. 20170010368 9,0
  7. 20170010369 9,0
  8. 20170010356 9,0
  9. 20170010148 9,0
  10. 20170010336 9,0
  11. 20170010350 8,5
  12. 20170010380 8,5
  13. 20170010089 8,5
  14. 20170010306 8,0
  15. 20170010361 8,0
  16. 20170010339 8,0
  17. 20170010331 8,0
  18. 20170010389 8,0
  19. 20170010348 7,5
  20. 20170009986 7,5
  21. 20170010340 7,0
  22. 20170010321 7,0
  23. 20170010367 7,0
  24. 20170010039 7,0
  25. 20170008531 7,0
  26. 20170010301 7,0

 

________________________________________________________________________

ATENÇÃO: O contato único para solicitação de informações sobre o

Processo Seletivo é o e-mail informado no Edital.

________________________________________________________________________