Edital de Seleção Bolsas PNPD

04/02/2014 16:50

Comunicamos que encontram-se abertas de 05 de fevereiro a 15 de março de 2014 as inscrições para a seleção de um(a) bolsista pós-doutoral que atuará na área de concentração Sociedade e Meio Ambiente – com escolha de um dos seguintes temas:

Pesca: Meio Ambiente e Relações de Gênero; ou

Meio Ambiente e Lixo.

Veja Edital Completo

Algumas notícias sobre a história do PPG-INTERDISCIPLINAR EM CIÊNCIAS HUMANAS

20/12/2013 21:11

Ao recebermos neste final de 2013 a noticia da última avaliação trienal da CAPES, quando o Doutorado  recebeu a nota 06 (seis), gostaríamos de lembrar a quem visita este site um pouco da história do  Programa Interdisciplinar de Pós-Graduação Interdisciplinar em Ciências Humanas (PPGICH).

 A nota seis, depois de começarmos sem nota, subindo depois de 3 a 4  e a  dois sucessivos 5, situa-se entre os 235 cursos de pós-graduação da área interdisciplinar da CAPES. Neste conjunto de cursos brasileiros, não há nenhum  com nota 7(sete).  e só há seis com nota 6 (seis): Modelagem computacional , da UNCC; Gerontologia biomédica, da PUCRS; Políticas Públicas e Formação humana, da UERJ; , Informática na Educação, da UFRGS; Política científica e tecnológica, da UNICAMP, e o nosso Interdisciplinar em Ciências Humanas.  O PPGICH está,  portanto, entre os seis cursos de melhor avaliação na área interdisciplinar.  Estamos também entre os 17 cursos da UFSC que têm notas 6 e 7, entre os quinze com nota seis, e no Centro de Filosofia e Ciências Humanas, o Programa é o único companheiro do curso de Filosofia, que também  recebeu nota seis nesta última avaliação.

O compromisso,obviamente, aumenta. Mesmo que ainda não se faça parte do  PROEX (pois se exige para tal receber nota seis por uma segunda vez),  aumenta nossa responsabilidade para vínculos nacionais e sobretudo internacionais,  cresce nosso compromisso  com a publicação do que  construímos interdisciplinarmente e com a qualidade  acadêmica do que fazemos. Ao ser reconhecido desta maneira, o Programa assume novos compromissos, no contexto da recente e importante história dos programas de pós-graduação interdisciplinares: não só o de continuar participando do debate sobre o significado da interdisciplinaridade no ensino, na pesquisa e na educação brasileira, mas também o de ressaltar a importância da divulgação dos resultados da investigação feita inter-disciplinarmente entre docentes e entre docentes e discentes.

E outro compromisso do PPGICH consiste em reforçarmos a importância das ciências humanas no campo  da ciência feita no Brasil. É importante ressaltar este aspecto, precisamente enquanto se assinala uma tendência no debate sobre os destinos da  vida acadêmica brasileira e inclusive no debate sobre a interdisciplinaridade, que a universidade e a própria interdisciplinaridade deveriam estar endereçadas   para a criação da inovação tecnológica, e só para isso.  E isso é preocupante!

Também por isso,  e neste contexto,   nosso curso –  que completa 19 anos de existência  – se tornou uma referência para mostrar que as ciências humanas, mesmo não precisando, e nem podendo, estar destinadas à inovação tecnológica,  tem uma tarefa importante para a interpretação da realidade e para afirmar que o conhecimento, no mínimo, não precisa ser todo ele meramente instrumental.

Também por estes motivos,  podemos ressaltar o que é feito por nosso curso no campo do conhecimento  acadêmico brasileiro. E a nota seis é um reconhecimento  por aquilo que já fizemos e fazemos, ao mesmo tempo que nos compromete, docentes, discentes e servidores técnico-administrativos,  para que o façamos com mais ousadia, coragem e qualidade.

Por tudo isso, precisamos sim comemorar, lembrando ao mesmo tempo as peripécias e as dificuldades para implantar um dos primeiros cursos  de pós-graduação interdisciplinares do Brasil. Lembrar que para chegar a este reconhecimento, começamos  com muitas reuniões de um grupo de docentes de  Antropologia, Ciências Sociais, Filosofia, Geografia, História e Psicologia, do Centro de Filosofia e Ciências Humanas, discutindo e nos convencendo da conveniência de formular um projeto interdisciplinar, projeto que veio a ser aprovado como primeiro doutorado do Centro de Ensino. Além disso, se rompia com o caráter departamental,  pois ficou sediado precisamente de Centro e não em algum departamento disciplinar..

Precisamos comemorar também a resistência dos que por primeiro trabalharam no curso, sem reconhecimento da CAPES, mas que não arrefeceram o ânimo quando a própria CAPES  sugeriu que o Doutorado se vinculasse a outra área ( por exemplo, à área biológica , por ter como objeto de estudo o tema ambiental – “Sociedade e Meio Ambiente”), ou que então  fechasse suas portas. Também não faltavam  colegas docentes que apregoavam a inviabilidade do projeto ou  então prenunciavam sua morte logo que surgissem os doutorados disciplinares. De fato, enquanto se constituíam os doutorados disciplinares no CFH, o nosso doutorado cresceu e se fortaleceu, mostrando cada vez mais que valia a pena apostar numa perspectiva supradisciplinar de fazer ciência, de ensinar e de nos inserir socialmente.

 Precisamos comemorar o ingresso de outros/as colegas, para que se passasse a ter mais de uma área de investigação, até termos a configuração atual, com três áreas (2000): não só Sociedade e Meio Ambiente, mas também Condição Humana na Modernidade, e Estudos de Gênero. Isso se transformou em argumento para afirmar o Curso no interior da CAPES, que criou uma área interdisciplinar, reconhecendo  a importância da inter e da multidiscilplinaridade.Mais especificamente, se   deixou de pensar que a interdisciplinaridade era apenas um modo para criar novas disciplinas, passando-se a admitir que a interdisciplinaridade é, mais que tudo, um modo de conhecer melhor a realidade, mesmo sem se precisar criar novas disciplinas, e sem pensar simplesmente  em inovação tecnológica.

E tivemos tantos colegas que nesta luta foram importantes: desde os/as docentes que formularam o projeto do doutorado interdisciplinaridade no CFH, até os dirigentes do CFH que levaram adiante a idéia, passando pelos/as docentes que aceitaram no inicio fazer parte de um doutorado que não contava com reconhecimento por parte dos órgãos de fomento (isso era temeroso, mas aceito pela CAPES), passando também  coordenadorias sucessivas, incluindo o período sem avaliação e, depois pelas sucessivas avaliações do curso   pela CAPES, compondo-se, assim, pouco a pouco, o quadro atual de docentes e de áreas e de linhas de pesquisa.

Desta história também fazem parte  os esforços para termos revistas de qualidade, como é o caso dos Cadernos de Pesquisa Interdisciplinar, da Interthesis, diretamente vinculadas ao programa, mas  também é o caso da Revista de Estudos Feministas (REF), que é dirigida por docentes do PPGICH e se tornou a revista atualmente  mais acessada entre todas que fazem parte do portal eletrônico SCIELO.

Assim, se chega a um reconhecimento cada vez maior do trabalho competente que  foi feito e continua sendo feito por docentes e discentes, não custando lembrar que o reconhecimento da qualidade atual deve a docentes e discentes e ao pessoal  técnico-administrativo que pel o curso passaram e ainda estão presentes. Vale a pena lembrar as sucessivas e sub-coordenadorias exercidas por Selvino Assmann, Fernando Ponte,  Clélia Nascimento-Schulze,  Hector Leis, Carmen  Rial, Joana M. Pedro, Luiz F. Scheibe e Teresa K. Lisboa.

Desculpem-me contar um pouco desta história, que inclui em sua primeira ata de 1995 , além da  assinatura do reconhecido historiador inglês e visitante da UFSC na ocasião,  Eric Hobsbawm, aquela dos ainda docentes do doutorado  João Lupi, Julia Guivant, Luiz  F. Scheibe,  Paulo F. Vieira, Paulo Krischke,      e meu próprio, se não esqueço ninguém, e que teve sua primeira defesa de tese em 1999.

 Esta é uma descrição de alguns fatos, entre tantos outros, da nossa história, da qual também fizeram parte tantas doutoras e tantos doutores, que trabalham em instituições publicas e privadas, de ensino ou não. Discentes que em bom numero mereceram prêmios ou menções honrosas por suas teses, até chegar ao recente Prêmio de Melhor Tese de 2012 na área interdisciplinar da CAPES, que congrega mais de duzentos cursos de pós-graduação.

Que tudo isso possa ser lembrado, e também sirva para que novos/as colegas se juntem ao corpo docente atual, para que novos/as pós- doutorandos/as e novos/as doutorandos/as  passem a fazer parte deste Programa Interdisciplinar em Ciências Humanas.

Florianópolis,  dezembro de 2013

 Prof. Selvino J. Assmann  –

Coordenador

10/12/2013 23:00

Estamos todos de Parabéns. As Professoras Dras., pertencentes ao  quadro de Professores Permanentes do PPGICH, Joana Maria Pedro – Pró-Reitora de Pesquisa e Pós Graduação – O Egresso e vencedor do Prêmio de Melhores teses do ano de 2012. Prof. Dr. Wagner Xavier de Camargo sua Orientadora, Carmen Silvia de Moraes Rial e a Vice-Coordenadora Teresa Kleba Lisboa na ocasião da entrega do prêmio, em Brasília. Um dia para ser comemorado valendo até um conceito 6 da CAPES na avaliação do curso.

Entrega do Prêmio CAPES e Divulgação do COnceito do PPGICH

10/12/2013 14:09

A CAPES está realizando, nesta data, 10 de dezembro de 2013, dois eventos aguardados com grande expectativa; a entrega do Grande Prêmio CAPES de melhores Teses do Ano de 2012. Nosso curso ganhou o prêmio com a Tese do egresso Wagner Xavier de Camargo, além da Profa. Dra. Carmen Silvia de Moraes Rial, orientadora da Tese, encontram-se em Brasilia, a Vice-Coordenadora do Programa,  Profa. Dra. Teresa Kleba Lisboa e a Pró-Reitora de Pesquisa e Pós-Graduação; Profa. Dra. Joana Maria Pedro. O outro evento é a divulgação, pelo órgão de fomento, das notas atribuídas aos cursos. Estamos torcendo por uma nota que reflita o empenho e o trabalho de todos que contribuem para a excelência do nosso Programa.

EDITAL DE SELEÇÃO DOUTORADO 2014

11/11/2013 18:55

Edital de Processo Seletivo para ingresso no Doutorado Interdisciplinar em Ciências Humanas (PPGICH) em 2014

 

Edital 2014

Certificados válidos para proficiência em língua estrangeira

Formulário de Inscrição On-line

Declaração de Interesse de Orientação

Em fevereiro de 2014, o expediente, de segunda à quinta, será das 14.00 às 18.00 horas, e na sexta-feira (dia 08 de fevereiro) o atendimento será das 8.00 às 12.00 horas.

Cancelado 1º Seminário de Estudos Contemporâneos de Paz e Conflito

24/10/2013 18:35
Conforme noticiamos noutras oportunidades, e também em nosso site, o PPGICH está apoiando a vinda e a realização  Iº Seminário dos Estudos Contemporâneos de Paz e Conflito, contando com a presença do Prof. Wolfgang  Dietrich, da UNESCO (e o PPGICH promovia também uma conferencia na UFSC), recebemos, no entanto, a notícia  cancelando o evento e a conferência.. Eis a noticiia recebida de Cerys Tramontini*,,,organizadora, nesta quarta-feira, dia 23 de outubro de 2013:
“Informamos que o Iº Seminário dos Estudos Contemporâneos de Paz e
Conflito será adiado em razão de o professor DDr. Wolfgang Dietrich,
detentor da cátedra de paz da Unesco ter sofrido um acidente na
Áustria e estar hospitalizado. Agradecemos imensamente a colaboração
de todos e em breve postaremos as novas datas para o próximo ano,
sobre a vinda do professor ao Brasil. Para aqueles que se inscreveram,
por favor entrar em contato por email seminariodepazeconflito.com.br
ou (48)96868654 para reembolsarmos os valores. Gratidão”

Selvino Assmann – Coordenador